Antes de saires de casa presta atenção

sexta-feira, 4 de Março de 2011

O que fazes para ganhar a vida?

Eu sou daqueles que não me importava de pagar impostos desde que me garantissem que o dinheiro era bem empregue e usado para coisas efectivamente úteis e que contribuíssem para algo de positivo.
Como sei que isso muitas vezes não acontece, a minha relutância e descontentamento surgem.
Na situação em que vivemos, com PEC atrás de PEC, em que a carga fiscal tem vindo a aumentar sucessivamente esse meu descontentamento tem vindo a aumentar. Como na maioria de todos nós.
Com uma realidade destas, em que nos estão a entrar cada vez mais nos bolsos o mínimo que eu espero é que aquele que nos andam a tirar seja usado de forma racional e cuidada. Se o objectivo é sair da crise então que cortem nas despesas supérfluas e que gastem o dinheiro em coisas essenciais.

O problema, para não variar, é que olha-se em volta e vai-se vendo a forma como o dinheiro vai sendo gasto.
Segundo o Jornal Sol, o Governo teve outra ideia maravilhosa e vital para a nossa sociedade e para a situação crítica que vivemos.
De acordo com este Jornal, o Governo quer que a profissão passe a constar no Cartão do Cidadão. Para isso, através da Agência para a Modernização Administrativa (AMA) vai abrir um concurso no valor de 600 mil euros.
A primeira e mais básica pergunta que surge é logo esta: numa altura destas não haveria melhor forma de aplicar 600 mil euros?

Para além da tal pergunta básica sobre a forma de dar uso a esse dinheiro, surgem-se depois outras questões sobre a utilidade desta medida o também se isto será prático.
Nos tempos que correm, em que o trabalho precário é cada vez mais e em que as pessoas mudam ou são obrigadas a saltar de emprego em emprego, ou de profissão em profissão, se preferirem, depois como farão? Cada vez que mudarem essa profissão vão ter de ir para as habituais filas do atendimento público pedir uma alteração ao Cartão do Cidadão? E não tenho dúvidas que vão ter de pagar por essa alteração.
E aqueles que exercem mais de uma actividade, como fazem? Têm de escolher a preferida para colocar no cartão?
E se eu for desempregado. Isso fica lá registado? E quando arranjar emprego. Tenho de ir lá alterar? E será até ao dia em que volte a ficar novamente desempregado?
E já agora, como se prova que alguém exerce a profissão A ou B?

Depois da confusão que houve nas últimas eleições pela omissão do número de eleitor nesse mesmo Cartão do Cidadão, o que é algo elementar, deveriam estar mais preocupados com essa mesma falha do que pensar como gastar dinheiro de forma fútil.

JP

3 comentários:

Elvascidade disse...

Que País este!

Anónimo disse...

MAis um tacho para 2 ou 3 amiguinhos...

O que me estranha é que por emnos todos os países fazem greves e manifestações e nós, queixamo-nos, comemos e calamos!

Bom fds!

Jinhos,
MS

Anónimo disse...

Acho que tb lá podiam meter o tamanho do piço.