Antes de saires de casa presta atenção

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Boas saídas e melhores entradas...

31 de Dezembro!

O ano acaba, cinzento e com chuva...

Metade dos sócios Duais ainda está a trabalhar, enquanto que a outra metade ainda ressona a pleno pulmão...vejam lá se adivinham quem é a metade dorminhoca!?

Resta-nos desejar a todos que tenham umas óptimas saídas de 2010, que se divirtam e aproveitem com a família e os amigos, e que tenham umas entradas ainda melhores.

Esperamos que 2011 seja de esperança, de oportunidades e de concretizações e que nos traga a todos muita saúde, amor e algum dinheiro.

Felicidades para todos!!!!

São Mais Dualidades!!!!!
NP & JP

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Venha de lá 2011

Meus caros amigos, familiares, visitantes habituais e outros menos habituais que por aqui passem, hoje é a última vez que aqui escrevo no ano de 2010. A próxima vez já será num novo ano.
Este ano cabe ao NP encerra-lo aqui no Dualidades.

Ao contrário do sócio NP, eu não sou muito dessas coisas de fim de ano, fim de um ciclo e início de um novo. Muito menos para retrospectivas e balanços. Não se chamasse isto Dualidades.
Para mim resume-se a pouco mais do que o fim de mais um mês e início de outro. Com a vantagem clara, isso sim, de que é um dia que dá direito a festa e justificações para beber um copos.
Já aqui o escrevi uma vez e volto a repeti-lo: muito mais do que me desejem um bom ano, prefiro que todos os dias me desejem um bom dia.
Há quem diga que esta forma de pensar se justifica pelo signo e por essas coisas da astrologia. Se um dia me cruzar com a Maya talvez lhe pergunte se é mesmo assim. :)

Ainda assim e depois de tudo o que disse, não quero, obviamente, deixar de desejar-vos um óptimo início de ano e que 2011 vos traga tudo aquilo que 2010 não vos trouxe e que seja um ano mais positivo.
Como o NP ontem bem disse, o que aí vem não promete ser fácil, por causa daquela complexa palavra a que habitualmente nos referimos como "conjuntura".
Tudo aquilo que já sabemos que nos vai acontecer em 2011 não é lá muito positivo, por isso esperemos que o inesperado sim o seja.

E assim termino, com o essencial: que 2011 seja um ano melhor que 2010 e vos traga aquilo que consideram essencial para a vossa felicidade e bem-estar.
E recordem: não se esqueçam diariamente do "bom dia".
Em 2011 continuamos a ver-nos por aqui.

JP

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Despedida de 2010...

Os ponteiros do relógio não dão tréguas.

Continuam compassados a percorrer a distância que separa cada um dos dígitos do mostrador, somando minutos, horas e aproximando-se vertiginosamente das doze badaladas da meia-noite onde, todos em uníssono, despediremos 2010 e daremos as boas-vindas a 2011.

Temos planos para o receber. Festas, jantaradas, mais ou menos formais, com mais ou menos animação, mas no essencial rodeados pelos que gostamos.

Fazemos votos de dias melhores, ambicionamos concretizações pessoais, saúde, felicidade no amor e sucesso no trabalho. Este ano em particular, desejamos também que o desemprego não nos bata à porta e que o aperto de cinto que nos tem sido imposto nos permita continuar a realizar alguns dos nossos caprichos e não comprometa o conforto a que estamos habituados. Muitos outros, infelizmente, lutam por coisas mais essenciais...não tiveram a nossa sorte e as suas preocupações são bem mais vitais que as nossas.

Nos últimos 365 dias aconteceram muitas coisas e é com alguma satisfação que constato que foram bem mais gratificantes que os 365 que os precederam.

O tempo passou a correr, muitas vezes nem nos apercebemos, mas vivemos momentos, partilhamo-los com os que amamos e também nos amam e as recordações ficaram gravadas nas nossas mentes e nos nossos corações.

Conhecemos novas experiências, vivemos amores, enfrentamos dificuldades, encetámos lutas de onde por vezes saímos vitoriosos e outras não, empenhámo-nos em novos desafios, corremos desenfreadamente, umas vezes valeu a pena outras nem tanto...

Sorrimos e fizemos sorrir, emocionámo-nos e aos que nos rodeiam, levantámos a voz, crispamo-nos e algumas vezes entrámos em litígio, com ou sem razão, tendo ou não a capacidade de pedir perdão ou de perdoar, mas seguindo em frente esperando que o tempo remedei as relações que valem a pena.

Conhecemos novas pessoas, algumas delas passaram e a outras permitimos que entrassem nas nossas vidas. Sofremos, passamos momentos difíceis mas com eles aprendemos e evoluímos enquanto pessoas, tornando-nos mais maduros, mais capazes para enfrentar novas dificuldades e ultrapassá-las. Nesta vida o que não nos mata fortalece-nos.

A mística do novo ano enche-nos de esperança e não queremos deixar de abrir o champagne quando, um pouco por todo o lado, rebentarem os fogos de artifício e engolirmos uma por uma, cada qual das doze passas, carregadas de desejos de felicidade e concretizações.

Os ponteiros do relógio continuam a sua marcha. Já falta pouco para o novo ano.
A todos desejo as maiores felicidades!!!

São Mais Dualidades!!!
NP

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Acabou o Natal. Começa a loucura

De há uns anos para cá tem-se acentuado o surgimento e o ganhar "peso" de uma nova "época" na vida dos portugueses. Começa logo imediatamente após o Natal e consegue juntar o entusiasmo de quase tantos como esta festividade santa.
Refiro-me à época das promoções. Oficialmente não são saldos, chamam-lhe promoções, porque as contingências da lei a isso obrigam, e conseguimos vê-las nas montras da grande maioria das lojas, logo a começar no dia 26 de Dezembro, assim que a nossa mente deixa para trás o Natal e começa a focar-se no ano novo.

Nos últimos anos, com todas as crises que por aí têm andado, que têm provocado diminuição do poder de compra das pessoas e consequentemente menos vendas por parte das lojas nas épocas normais, elas aproveitam estas ocasiões para "obrigar" as pessoas a gastarem o que têm e às vezes o que não têm. Maravilhas do crédito.
Parece um contra-censo, mas é verdade. Por vezes damos por nós sem perceber como é que havendo menos dinheiro, se gasta mais e se fazem mais levantamentos de multibanco e mais pagamentos, como foi noticiado nos meios de comunicação social, dias antes do Natal. Este ano voltámos a bater recordes!
Será que o aumento do IVA que aí vem, já na próxima semana, justifica tudo?! Humm...

Mas voltando à minha ideia inicial, creio que é indesmentível para toda a gente que mal o dia de Natal faz parte do passado começa a loucura dos saldos. Perdão, das promoções. Que os saldos vêm umas semanas depois.
Vemos as montras das lojas e os saldos, perdão, as promoções, vão desde 20%, 30% até 60% ou 70%. Muitas vezes os saldos já nada de novo trazem. Quando chegam, já tudo foi "promocionado".
E nós, os portugueses, parece que mesmo tendo menos dinheiro na carteira respondemos ao apelo e lá vamos nós comprar com descontos. Rapar aqueles euritos que sobreviveram às compras de Natal e "investi-los" a comprar aquela peça de roupa ou outro fetiche que tanto queríamos mas ninguém no-los ofereceu no Natal. Imperdoável.

É bem verdade que não chegamos (ainda) a loucuras semelhantes a outros países, que por vezes temos oportunidade de ver na televisão. Pessoas que vão de véspera para a porta das lojas, que lá se amontoam e empurram com o único objectivo de entrarem a correr por lá a dentro assim que as portas abrirem e serem os primeiros a comprarem qualquer coisa que talvez nem precisassem, simplesmente porque está mais barato que no dia anterior.
Português gosta de saldos, perdão, promoções, mas ordeiramente. Pronto, é verdade, há sempre algumas excepções. Servem para confirmar a regra. E não estou só a pensar na Media Markt de Alfragide à meia-noite.

Mas com esta época que vai ganhando força entre o Natal e o ano novo, com os preços a caírem consideravelmente, em que um produto que compramos dois dias antes e nos custou os olhos da cara está agora a metade do preço, começo seriamente a ponderar a hipótese de assinar um protocolo com os meus familiares e amigos com direito a prendas de Natal para que essa troca de prendas passe do dia 24 para o dia 26. Olha que não é mau pensado, não senhor. ;)

JP

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Toca a animar a malta...

A primeira parte das festas deste ano está cumprida.

Passaram-se os dias com a família, comeu-se muito e bebeu-se mais. Sentimo-nos todos com umas gorduras a mais que, todos juramos, iremos perder à base de exercício que faremos religiosamente no próximo ano até ficarmos em forma.

Trocamos presentes, gastamos alguns euros nesse sentido e somamos mais alguns pares de meias, alguma roupa interior e umas notinhas, porque para os mais velhos da família continuamos a ser os miúdos a quem se dá uma notinha para se comprar o que mais se gostar. Tem a sua graça e é um gesto que se reveste de muito carinho.

Agora começamos a pensar onde e como despedir 2010 e dar as boas-vindas a 2011.

A crise não permite grandes excessos ou grandes festanças.

Por aquilo que tenho observado ao meu redor, a malta está numa de fazer uma jantarada em casa, para a família ou os amigos, acompanhados por mesa farta e copo cheio. Come-se mais e melhor e gasta-se menos. A animação será directamente proporcional ao estado de espírito do grupo.

A televisão dá uma ajuda.

A RTP propõe uma gala de fim-de-ano com muito humor à mistura onde não faltarão Herman José, Ana Bola, Maria Vieira entre outros, prometendo o nível de outros programas memoráveis como "Crime na Pensão Estrelinha", etc...

Na SIC o país conhecerá o novo Ídolo de Portugal!!! Particularmente torço para que seja a Sandra!!!!

Na TVI a Casa dos Segredos chegará ao fim e ficaremos a saber se o António se tornará na nova versão do barranquenho Zé Maria.

Seja como for, a ideia é passar uma noite agradável, ligeiramente diferente e mais longa que as outras, mas sem grandes excessos porque a malta já não está para isso.

Seja como for, o que faz falta, é animar a malta!!!!!!!!!!!!!



São Mais Dualidades...no final de mais um ano!!!!
NP

domingo, 26 de dezembro de 2010

As Escolhas dos Dualidades (#116)

Esta é a parte do Natal de que mais me custa falar. É quando dizemos que acabou e já passou mais um.
Felizmente aproxima-se aí mais um fim de ano, mais um motivo de festa e que ajuda nesta ressaca.
Mas como ainda estamos na ressaca de mais um Natal, a música que escolhi para hoje ainda cheira mesmo a Natal. É mais uma que fica para o histórico.
Muitos já a conhecem, principalmente aqueles que são ouvintes habituais da Rádio Comercial. A tal que anda sintonizada no meu carro uns 60 a 70% do tempo. :)

Aproveitem este Domingo, resto do fim-de-semana e de despedida do Natal. Venha de lá o fim do ano.

Dualidades NP

Dualidades JP

Bom Domingo.

JP

sábado, 25 de dezembro de 2010

Feliz Natal!!!!!


São os votos sinceros dos Sócios Duais!!!!
JP & NP

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Uma muito feliz noite de Natal

Hoje não é dia para dizer muitas coisas nem fazer grandes divagações. Apenas limitarmo-nos ao que é essencial.
Por isso, hoje fico-me apenas com isto: em nome dos dois Dualidades, desejo a todos uma óptima noite de Natal, em família, como deve ser, e que seja recordada como umas das melhores de sempre.


Feliz Natal

NP & JP

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Façamos uma pausa natalicia...voltamos depois...

Aproximam-se dias de afectos para compensar as notícias de cenários económico-financeiros graves que nos têm vindo a arrefecer a alma e a esvaziar os bolsos.

Especula-se quanto à vinda do FMI, as dificuldades do BPN, o cumprimento ou não do malfadado défice...detalhes marcro-económicos que nos parecem distantes, mas que têm reflexos na nossa vida quotidiana e nos orçamentos familiares cada vez mais penalizados.

Para 1 de Janeiro prevê-se o agravamento da situação com o aumento generalizado dos preços, acrescido da alteração da taxa de IVA que nos penalizará em todas as categorias, numa média de 2%. Parece pouco, mas tudo somado, vai fazer mossa.

2011 ainda não começou e já se avizinha complicado...

Apertados como estamos, é de esperar que a economia venha a contrair-se, não há dinheiro para o consumo e, aqueles a quem sobra alguma coisa, canalizam-no para alguma poupança temendo dias ainda piores.

Desta forma é normal que também não se criem muitos postos de trabalho, aliás, acredito até que se reduzam mais alguns.

Não está fácil!!!

Até o feriado de dia 25 parece disposto a dar o seu contributo favorável à crise e à tão falada falta de produtividade. Este ano calha num sábado e a malta vê-se privada de mais um diazinho de "dolce fare niente"...

Mas como de nada serve sofrer antes de tempo, e como quem "morre de véspera é o perú do Natal", temos estes dias em família para descontrair e carregar baterias, sem pensar muito porque infelizmente a resolução de todas estas questões não depende de nós.

Resta-nos esperar que melhores dias venham...

São Mais Dualidades!!!
NP

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Oito e Oitenta (#133)

Oito: Foi-se a águia

Para final de ano não é uma grande notícia, mas a relação entre o espanhol, tratador da águia Vitória, e o Benfica chegou ao fim.
Os argumentos de ambas as partes têm-se sucedido, com ambas as partes a imputarem culpa na outra. Uma parte diz que foi agredida, outra diz que não e foi tudo ao contrário.
O certo é que para esta relação de há vários anos ter chegado ao fim, algo aconteceu e provavelmente alguém agrediu alguém.
A Direcção do Benfica emitiu um comunicado em que contradiz todas os alegados empurrões que o espanhol diz ter sofrido e que tem testemunhas e videos das camâras de vigilância que provam isso mesmo.

Dizem as más-línguas que a causa de tudo isto está relacionada com a "expansão" do negócio do "lançamento da águia" até Roma, no estádio da Lazio, na tentativa de rentabilizar o negócio.

Seja como for, espero que o Benfica encontre outro tratador e outra águia que volte a abrir os jogos do Benfica em casa. Já é um símbolo e que interessa manter.


Oitenta: É Natal

Feliz Natal (Digital, Analógico ou de qualquer outro tipo). ;)



JP

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Natal com neve...

A força da natureza continua a mostrar a nossa vulnerabilidade ante a sua vontade.

Ainda há dias Tomar via-se a braços com um tufão que deixou avultados prejuízos e muitos desalojados e já a Europa está de pernas para o ar perante o rigor do inverno que tem afectado países como França, Inglaterra e Alemanha.

A muita neve que tem caído condiciona o tráfego aéreo originando o caos nos principais aeroportos europeus, tais como Heathrow, Charles de Gaulle e Frankfurt.

Muitos são os que fizeram planos para um Natal junto de familiares e amigos nos mais diversos destinos mas o constante adiamento de voos a causa das condições climatéricas tem gerado a confusão, obrigando a que muitos pernoitem há alguns dias nos aeroportos, não lhes restando outra alternativa. Para muitos, as férias de Natal parecem estar a ser bem diferentes daquilo que tinham planeado.

Através dos noticiários chegam-nos testemunhos de pessoas que há três dias se encontram no aeroporto Charles de Gaulle vestindo a mesma roupa, ou de um casal de noivos cujo casamento agendado para 27 de Dezembro se vê comprometido caso a situação não se resolva.

Chegam-nos também relatos de muitos portugueses que pretendiam juntar-se a familiares nesta quadra que apela a essa união, mas ainda ontem 14 aviões que deveriam ter saído dos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro ficaram em terra e com eles os seus passageiros.

O comboio aparece como uma alternativa válida, mas os fortes nevões também tem condicionado algumas linhas.

Também as estradas francesas apresentam dificuldades para quem circula nelas, obrigando muitos pesados a terem que encostar, dificultando o transporte de géneros e agravando a distribuição de produtos. Daí resultarão mais prejuízos para as distribuidoras já tão penalizadas com a actual situação económico-financeira.

Por cá o frio parece estar a dar tréguas e as chuvas fortes dos últimos dias têm contribuído para uma ligeira subida das temperaturas, principalmente as mínimas.

A malta até curtia um manto branco para ambientar a quadra, mas acho que o melhor que vamos conseguir é este efeito de neve com que o Sócio JP resolveu decorar o nosso Dualidades…

São Mais Dualidades!!!
NP

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Google Body Browser

Quem já tiver explorado todos os recantos do planeta Terra através do Google Earth tem agora a possibilidade de "viajar" dentro do seu próprio corpo.

A Google lançou esta semana a aplicação Google Body Browser, que substitui os roteiros dos países e das cidades pelo mapa da anatomia humana. Os oceanos, as montanhas, os vulcões e os prados dão assim lugar a paisagens bastante diferentes, como os órgãos, os nervos, o sangue e até o próprio esqueleto.
Além da mera curiosidade do cibernauta comum, esta nova ferramenta interactiva tem também um objectivo educacional junto dos estudantes de Biologia ou Medicina.
"O Body Browser é um modelo do corpo humano em 3D. O utilizador pode ir despindo as diferentes camadas anatómicas, aplicar zoom e navegar nas zonas que queira", disse um dos representantes da empresa no lançamento do produto. Desenvolvido pelo Google Labs - área da empresa dedicada à criação de aplicativos e programas experimentais -, este programa encontra-se ainda em fase de testes pelo que a navegação é ainda limitada.

Ao aceder à aplicação, os cibernautas deparam-se com o corpo de uma mulher vestida com roupa desportiva. Do lado esquerdo encontram-se botões que controlam a rotação e o zoom, embora também seja possível fazê-lo através do rato. Para saber em que zona do corpo o utilizador se encontra basta clicar em labels e automaticamente aparecerá um texto explicativo.
Além de o utilizador conseguir explorar o corpo humano através das suas diferentes camadas, o Google dispõe de um sistema de busca personalizada. Assim, basta colocar o nome do músculo, osso, artéria ou órgão pretendido e a viagem começa.

Além de outras inovações previstas para este Google Earth do corpo humano, está também anunciado o lançamento de um avatar masculino, uma vez que as anatomias dos dois sexos diferem em vários aspectos.

Artigo extraído do Diário de Notícias.


Depois desta descrição do novo brinquedo que a Google se prepara para nos oferecer, se ficaste com curiosidade de ver um pouco mais o que aí vem, vê o vídeo demonstrativo que está em baixo.



JP

domingo, 19 de dezembro de 2010

As Escolhas dos Dualidades (#115)

O frio ajuda a criar o ambiente ideal. Perfeito era se nevasse, mas não é muito usual pelas nossas paragens.

A verdade é que, tirando isso, já se sente o espírito natalício no ar, e o verdadeiro não se deixa afectar por crises, PEC’s ou IVA’s. O verdadeiro espírito natalício é feito de afectos, de dádivas, de juntar a família e conviver, de recordar com saudade os que partiram mas ter esperança no futuro dos que estão presentes e que são eles que justificam as lutas diárias. É a família e os que gostamos que dão sentido às nossas vivências, que nos apoiam nas contrariedades e que riem e choram connosco quando necessitamos.

Corremos 364 dias por conforto financeiro, por dinheiro para pagar as contas, por TER e só um dia por ano tomamos consciência que, afinal o que nos faz mesmo falta é SER : ser filho, ser irmão, ser sobrinho, primo, amigo...ser AMADO!

Gosto particularmente desta quadra, onde os afectos estão mais à flor da pele, onde demonstramos mais os nossos sentimentos e mostramos a nossa preocupação pelos que amamos.

A semana ainda agora começa. Temos sete dias para viver o espírito verdadeiro do Natal. Aproveitem-no e esbanjem afectos, pelo menos esses não pagam impostos e aquecem as almas.

Deixo-vos as propostas musicais dos Sócios Duais. Ouçam e digam-nos a vossa opinião.

Dualidades JP

Dualidades NP

São Mais Dualidades!!!
NP

sábado, 18 de dezembro de 2010

Sugestão Dual (#56)

Esta semana vou repetir a sugestão. Com uma diferença. Da primeira vez que a trouxe foi antes de ver, desta vez é depois de ver, já com conhecimento de causa. Estou a falar do filme "A rede social".

O tema e o filme não podiam estar mais na moda. Se ainda razões faltassem, ontem o NP apresentou mais uma.
Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, foi eleito, pela revista Time, personalidade do ano 2010, ficando à frente, por exemplo, de Julian Assange, fundador do Wikileaks.

Mark Zuckerberg é o mais jovem bilionário do mundo, tudo à conta da criação do Facebook. Mesmo tendo em atenção todas as indemnizações que já teve de pagar e aquelas que eventualmente ainda terá de pagar.

São todas as pequenas histórias e pormenores que são contados neste filme, que retrata como tudo começou, os acontecimentos que levaram a que começasse e os percalços e loucuras que sucederam durante e até perto dos dias de hoje.
Por tudo isto, considero o filme, no mínimo, interessante. Afinal de contas, o tema de fundo é a criação da mais famosa e usada rede social do mundo inteiro. Que nasceu na Universidade americana de Harvard, onde a personagem principal estudava na altura em que tudo começou.
Tudo isto, com o especial aliciante de ser uma história baseado em factos reais e extremamente recentes. A ver. Digo, eu.

Bom fim-de-semana.

JP

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Criador do Facebook, personalidade do ano

A conceituada revista "Time" elegeu Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook como a personalidade do ano 2010. E porque? "Por ter relacionado mais de 500 milhões de pessoas e cartografado as relações sociais entre eles".

Com 26 anos, Mark Zuckerberg é o mais jovem bilionário do mundo e, segundo a "Times", "criou um novo sistema de troca de informação e por mudar a maneira como todos vivemos a nossa vida".

Actualmente, o Facebook tem quase 600 milhões de utilizadores, que publicam cerca de mil milhões de novos conteúdos por dia.

A "Times" revela ainda dados estatísticos curiosos sobre esta rede social. O seu número de utilizadores faz dela o terceiro "país" do mundo, conecta um décimo do planeta e tem mais informação sobre os cidadãos que o utilizam do que qualquer governo.

Há poucos dias vi o filme "A rede social" e acho particularmente curiosas as motivações que conduziram ao aparecimento desta rede social que faz parte da vida da maioria de nós, uns porque gostam dos jogos, outros porque reencontraram amigos que não viam há anos, ex-colegas de faculdade, de trabalho, familiares....outros porque gostam de partilhar momentos das suas vidas, fotos, experiências.

A verdade é que, para quem tem um perfil criado, a visita diária, algumas vezes mais do que uma vez ao dia, já faz parte das nossas rotinas.

Goste-se ou não, há que reconhecer o mérito deste jovem!

JP, é desta que entras na onda Facebook...vá lá, só vais faltando tu!

São Mais Dualidades!!!
NP

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Pulseira do equilíbrio

Há algumas semanas a DECO fez uma revelação surpreendente. Veio dizer o que ninguém estava à espera: as famosas pulseiras do equilíbrio são um barrete pegado!
Eu sei, como vos compreendo, o meu coração também está destroçado. Não estava nada à espera. Se a juntar a isto alguém sequer insinuar que o Manuel Luis Goucha tem um desequilíbrio hormonal, eu dou cabo de mim!

É por estas e por outras que eu me mantenho fielmente inscrito como associado da DECO. A parte do apoio legal e jurídico e dos estudos comparativos de preços versus qualidade são irrelevantes. A grande mais-valia de ser associado é mesmo este tipo de revelações.
Revelação de tal dimensão certamente deve estar no Wikileaks. Tenho a certeza que, mais dia, menos dia, ela sai cá para fora.
Se eles tinham telegramas reveladores que nos fizeram abrir os olhos e descobrir que o Cavaco é rancoroso e o Sócrates não gosta de partilhar o poder, também lá devem ter um telegrama qualquer que diga que a pulseira é um logro. De certezinha.

Mas criticas à parte, acho muito bem que a DECO, como entidade credível que é, venha a público dizer isso. Só tenho pena que não o tenha feito mais cedo.
Por esta altura já há por aí muito desequilibrado que comprou aquele bocado de plástico com uma rodela de metal e passou a sentir-se o equilíbrio em pessoa! Basta andar na rua, reparar nos pulsos das pessoas e ver muitas delas a comentarem "Ai que equilibrado que eu me sinto!".
Eu próprio, há umas semanas, ia mandando um malho ao andar de mota. E porquê, perguntam vocês?!
Óbvio! Porque não tinha uma pulseira do equilíbrio. A minha vontade foi ir de imediato comprar duas pulseiras. Uma para cada roda da mota, claro! Mais vale pecar por excesso. A partir daí já podia andar feito maluco na estrada, a meter-me no meio dos carros, que ninguém me mandava abaixo.

Outra aplicação óbvia para este milagre do equilíbrio é, como se está mesmo a ver, quando se está a caminhar para o estado de alcoolicamente bem-disposto (estado de bêbado, bem bêbado, já não. Até os milagres têm limites).
Quando chegamos aquele ponto em que as cervejolas (e afins) começam a escorregar cada vez melhor e sentimos que o nosso equilíbrio começa a ir-se embora com cada copo vazio, nada melhor que recorrer às pulseiras do equilibro. Metemos uma no pulso e está feito. Já não há quem vá com as fuças ao chão.
Outro caso em que dá muito jeito, dado o momento de crise em que vivemos, é para equilibrar as contas no fim do mês. Se estivermos com a corda ao pescoço, a fazer contas de cabeça a tentar perceber como fazer o dinheiro esticar para tudo, gastamos 20 euros numa pulseira dessas e o milagre dá-se. Continuamos enrascados mas pelo menos já temos uma pulseira da moda e sentimo-nos felizes.
O mesmo se aplica às contas públicas, que bem precisam de ser equilibradas. Aposto que o nosso Ministro das Finanças, quando foi recentemente à China vender dívida pública, levava uma pulseira do equilíbrio enfiada em cada tornozelo (só não levava nos pulsos porque elas são muito coloridas e não dão com os fatos e gravatas).

E o Cristiano Ronaldo. Porque acham que este ano está a fazer uma grande época no Real Madrid?! Claro! Porque tem uma pulseira do equilíbrio. Não me digam que pensavam que tinha a ver com o Mourinho.
O Messi também está a fazer uma grande época, mas não acredito que seja por causa da pulseira. Esse é tão pequeno que se usasse uma pulseira tinha o efeito oposto e acabava por cair com o peso dela. Quanto muito um anel do equilíbrio.
Creio que esse deve ser mesmo natural o seu jeito para a bola.

Sinceramente, não sei quem inventou esta coisa, mas tiro-lhe o chapéu. Conseguir inventar um objecto de plástico ou borracha, totalmente inútil, provavelmente fabricado na China (como quase tudo, hoje em dia), certamente com um custo de produção irrisório, vende-lo por 20 e 30 euros, como cheguei a ver, e enganar milhares ou milhões de pessoas em todo o mundo, só merece a minha inveja. É de empreendedores assim que o nosso país precisava para sair da crise.
A culpa deste barrete é de quem a colocou à venda? De forma alguma. A culpa é de quem a comprou. E de quem precisou de um alerta da DECO para perceber o desequilíbrio que cometeu.

Já agora, se quiserem ler a notícia, cliquem aqui.

JP

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Oito e Oitenta (#132)

Oito – O Wikileaks

No nosso vocabulário corrente entrou esta semana mais um novo vocábulo : Wikileaks.
A maioria de nós desconhecia a que se referia, talvez o sócio JP perito em novas tecnologias já tivesse ouvido falar.

Afinal, é um site onde são publicados posts de forma anónima, documentos, fotos e informações confidenciais que caem na Internet e revelam informações governamentais ou empresariais.

Recentemente caíram na empresa alguns telegramas e informações relativas a Portugal que tem ocupado os telejornais e a opinião pública nos últimos dias.

O Caso Maddie é referido numa troca de telegramas entre os embaixadores do Reino Unido e dos EUA em Lisboa, no qual o segundo conta que foi a polícia britânica quem descobriu as provas que incriminaram Kate e Gerry McCann pelo desaparecimento da filha. No mínimo polémico.

Saíram também à luz conteúdos de telegramas onde a embaixada norte-americana traça o perfil de vários políticos portugueses.
Sobre Manuel Alegre é dito que é um "velho leão" e um "dinossauro esquerdista".
Manuela Ferreira Leite é descrita como "protegida de Cavaco Silva", "capaz", "largamente respeitada pela sua inteligência e experiência", mas "sem carisma".
José Sócrates é reconhecido como um "político carismático" que "não gosta de partilhar o poder".
Finalmente, Cavaco Silva é elogiado enquanto "mandatário bipartidário" mas são-lhe atribuídas "sérias vinganças politicas pelo simples facto de não ter sido convidado à Sala Oval na Casa Branca". No mínimo caricato.
Valha-nos pelos menos que, a maior potência do mundo considera Portugal "um aliado firme"!

Considerações à parte, convenhamos, que grande lavagem de roupa suja.


Oitenta – Parabéns Manoel de Oliveira

Foi na semana passada que, o realizador mais longevo do mundo completou mais um aniversário: 102!!!!!
O Dualidades quer deixar uma saudação a Manoel de Oliveira e felicitá-lo pela sua dinâmica e a sua capacidade de se renovar a cada dia.

Sem duvida é um exemplo de vida para todos nós, pela sua boa disposição e o seu empreendorismo.

Fazemos votos que tenha saúde para completar alguns anos mais!!!

São Mais Dualidades!!!
NP

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Comércio. Elvas vs Badajoz

Ultimamente, mais do que nunca, muito se tem falado da crise e do aumento das dificuldades em "viver" e com a chegada da época de Natal essa questão volta a estar (ainda mais) na ordem do dia.
Acrescido a esta situação mais ou menos geral a todo o país, nas zonas fronteiriças, como Elvas, colocam-se ainda outros problemas adicionais.
Quem dá uma volta pelos blogues elvenses e lê os textos e opiniões que por lá são publicados e os comentários que vão surgindo aos mesmos percebe que esta situação está mesmo na ordem do dia. E outra coisa não seria de esperar.

Tudo o que de negativo tem surgido nos últimos meses e anos na vida dos portugueses apenas tem servido para acentuar ainda mais as dificuldades de quem vive "paredes meias" com os vizinhos espanhóis, nomeadamente quem, de alguma forma, tem de competir com a grande oferta que é apresentada do outro lado da fronteira. Aqui falo principalmente de quem, do lado de cá, tem uma porta aberta ao público e faz disso o seu sustento.
Esta situação começou a tomar proporções quando, do lado de lá, deixaram de olhar para nós como aqueles que moram do lado de lá e começaram a olhar para nós como um mercado a conquistar e com euros para gastar.

A minha opinião pessoal sobre esta concorrência não é muito optimista.
Mesmo olhando para esta realidade numa visão simplista, ignorando as questões nacionais, porque afinal de contas vivemos num mercado global, o que temos é uma cidade grande, com muita oferta a todos os níveis, e uma cidade pequena com impossibilidade de concorrer directamente com essa capacidade de oferta. Tendencialmente, as pessoas afluem aos grandes centros onde conseguem encontrar maior oferta e maior possibilidade de escolha. É uma questão comportamental.
Se a isto ainda acrescentarmos as tais questões nacionais e os elementos do "jogo" que lhes estão associados, a situação ainda pende mais para o lado de lá, graças às diferenças fiscais que existem entre os dois lados, o que se reflecte no preço final que é apresentado ao consumidor.
Quem é o elvense que não tem o hábito de ir a Badajoz fazer compras a um dos Carrefour, dar uma volta pelo El Corte Inglés, abastecer o depósito do carro, fazer compras à Calle Menacho ou ir à noite beber uns copos a um dos muitos bares ou discotecas?!
Já lá vão os tempos do espírito nacionalista. Se já compramos toda a porcaria aos chineses, só porque é barato, mais facilmente compramos aos espanhóis.

Tentar competir directamente com o mercado espanhol, usando as mesmas armas, é uma batalha perdida à partida. Desta nem a padeira de Aljubarrota nos salva.
A hipótese que temos de ganhar este duelo, ou pelo menos, empata-lo, passa invariavelmente por oferecer, não em quantidade, mas em qualidade. Conseguir fazer a diferença. Apresentar produtos que sejam de alguma forma diferenciadores no meio do grande volume de oferta e com qualidade superior. Algo que leve quem compra a deslocar-se até lá e a estar disponível a pagar algo mais para ter esse produto diferente e com qualidade superior.
Creio que a restauração elvense pode ser um exemplo disso. Consegue trazer até si clientes, de ambos os lados da fronteira, porque em qualidade ganha aos pontos o que se come do lado de lá.
O desafio está em conseguir que os outros sectores consigam fazer o mesmo. É um grande desafio, é verdade.

A propósito destes temas e relacionado também com o tema do Natal e das compras, como complemento ao texto de hoje, abri 3 sondagens sobre o que gastamos e onde o gastamos nesta época do ano e se estes tempos de crise interferem nos nossos orçamentos. As respostas tentam servir a quem mora aí, mesmo junto da fronteira, e a quem mora por aqui, um pouco mais longe.
Estão aí do vosso lado direito e peço-vos mais 30 segundos do vosso tempo para deixarem as vossas respostas. A malta aqui agradece.

JP

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Desabafo de um Sportinguista...

Este fim-de-semana, de azáfama comercial motivada pela proximidade de mais um Natal, foi de Taça de Portugal.

Confesso que acabei por não assistir a nenhum jogo e ainda bem...penas que não se vêem não se sentem.

Na próxima quarta-feira a competição segue em frente com a realização do sorteio que determinará que equipas se defrontarão nos quartos de final.

Sem surpresas, o F.C.Porto, o Rio Ave, o Vitória de Guimarães e o Benfica derrotaram os seus adversários e carimbaram o passaporte de acesso à próxima fase.

O PinhalNovense defrontou o Leixões e junta-se às equipas apuradas.

À noite, o Benfica derrotou o Braga por duas bolas a zero e também "soma e segue", mas ainda para os oitavos de final, uma vez que esta partida estava em atraso e já de seguida terá de enfrentar o Olhanense.

Pendente de processos estão outras equipas, tornando confusa esta edição 2010/2011 da Taça de Portugal.

Mas o ponto negro da eliminatória foi, sem dúvida a vitória do Setúbal sobre os leões de Alvalade.

Depois dos maus resultados no campeonato, mais um balde de água fria.

Resta-nos a Europa...por enquanto!

São Mais Dualidades!!!
NP

domingo, 12 de dezembro de 2010

As Escolhas dos Dualidades (#114)

Entrámos no penúltimo fim-de-semana de loucura das compras de Natal. Tenham em atenção que se não aproveitarem este, só vós resta mais um. Não se esqueçam deste alerta.

O NP, pelo que sei, teve isto em atenção e até se deslocou do seu habitat natural para outras paragens com maior oferta de mercado, onde existem mais possibilidades de gastar os euros desta época.
Quanto a mim, costumo ser mais comedido nestas coisas mas sem evitar os mínimos obrigatórios. Por isso também é provável que siga o meu próprio conselho e ainda este fim-de-semana tentar comprar o que ainda falta.
O maior problema disto tudo é que nesta altura do ano costuma ser uma aventura entrar em qualquer Centro Comercial. É para corajosos.
Para mim, para o NP e para aqueles que se aventurarem, um grande abraço de boa sorte. :)

No que às músicas diz respeito, elas aqui ficam. Seja época de Natal ou qualquer outra, elas não faltam.
Entre duas idas às lojas, parem para as ouvir e digam de vossa justiça.
A minha é assim... meio... como dizer... ouvia-a casualmente esta semana e deu-me um ataque de nostalgia. :)

Dualidades NP

Dualidades JP

Bom Domingo.

JP

sábado, 11 de dezembro de 2010

Sugestão Dual (#55)

Pelo terceiro ano consecutivo, e depois de atrair a Elvas dezenas de milhares de espanhóis, a Pista de Gelo volta ao Coliseu da cidade. Já vai sendo tradição da quadra natalícia.

Continua a ser a maior pista de gelo portuguesa, oferecendo a quem a visita o conforto de se encontrar num recinto fechado.

O outro ano fiz o meu baptismo de patinagem e consegui não cair. Verdade se diga que não arrisquei largar a parede que circunda a pista, mas há que valorizar o esforço.

Este ano pretendo voltar e conseguir novos feitos na modalidade...espero bem sair de lá inteiro.

Por isso já sabem. Venham a Elvas e divirtam-se na pista de gelo de Elvas. Quantos mais melhor, para a risota. E de seguida visitem as artérias iluminadas do centro histórico e façam as vossas compras de Natal no comércio tradicional.

São Mais Dualidades!!!

NP

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Somos muito parvos

Sempre me habituei a ouvir dizer que, de louco, todos temos um pouco.
Eu acrescento, de parvo também. Somos muito parvos. Felizmente, uns mais que outros.
Querem um exemplo? Então aqui vai.

A Media Markt de Alfragide, a propósito do seu terceiro aniversário, decidiu comemora-lo de uma forma algo original, digo eu.
Na passada Terça-feira, fez uma campanha em que devolvia aos seus clientes o valor do IVA das compras efectuadas, em cartão Media Markt, para futuras compras. Até aqui nada demais.
A parte original da coisa é que a campanha durava o simbólico tempo de 3 horas e começava às 23h59 de Terça-feira, prolongando-se até às 3 da madrugada de Quarta-feira.

Essa campanha foi bastante divulgada mas pelo facto de ter essas pequenas originalidades referidas em cima, de eu não considerar o desconto nada de extraordinário (ainda para mais o valor era creditado em cartão de compras, não era o dinheiro que era devolvido) e por trabalhar precisamente em Alfragide e poder dizer-vos que nesse dia o tempo não esteve minimamente simpático, caracterizado por vento e muita chuva, pensei, dentro da minha ingenuidade, que aquilo não iria lá ter muita gente.

No dia seguinte, quando me pus a par do sucedido, umas das primeiras coisas que pensei foi: JP, és mesmo parvo.
Conta quem sabe que os acessos à volta do Media Mark estavam completamente congestionados de automóveis, praticamente sem se conseguir circular, a fazer lembrar um qualquer shopping no dia 24 de Dezembro, em que toda a gente vai desesperadamente fazer as compras que guardou para o último dia.

Esta terá sido a realidade fora do Media Markt. Quanto à realidade lá dentro, nada melhor que deixar-vos um vídeo para poderem ver com os vossos próprios olhos e não pensarem que este gajo aqui está a inventar.
Só me pergunto se aquela gente não tinha nada melhor para fazer numa noite de véspera de feriado e se realmente estaremos em crise, ao ponto de muita daquela gente acabar por comprar coisas de que muito provavelmente nem precisa, mas apenas pela satisfação de poder comprar com algum desconto.
E reparem, é dos 8 aos 80.

O slogan da própria Media Markt, e que já se tornou imagem de marca nos seus anúncios publicitários, diz algo como isto: "Eu é que não sou parvo!".
A mim apetece-me acabar este post alterando um pouco esse slogan e adaptando-o a uma frase que ficou bem conhecida pela boca do “nosso” Scolari. Daria algo como isto: "E o parvo sou eu?!".



JP

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

As compras de Natal

Começa a azáfama das prendas e todos assumimos com os nossos botões o compromisso de este ano gastar menos dinheiro. A crise a isso o obriga.

Elaboramos a lista de prendas, cortamos ao máximo, mas há sempre um núcleo duro a que temos prazer de oferecer.

Nada está barato e não queremos oferecer bugigangas...começa a nossa derrapagem.

Corremos lojas e lojas, espreitamos montras, mantemo-nos atentos à publicidade que inunda por estes dias todos os canais de televisão. Folheamos os suplementos que enchem as revistas, damos voltas e mais voltas até conseguir completar a nossa lista e gastar o mínimo possível.

Depois vem os senhores estudiosos e dizem que cada português gastará menos que os quinhentos e não sei quantos euros dispendidos no ano passado. Dá-me vontade de rir. Se todos os estudos tiverem tanta veracidade como este...não sei nada das vossas vidas, mas em relação à minha tenciono gastar metade desse valor. Das duas uma, ou isto é um país de ricos ou até no que às prendas de Natal diz respeito vivemos francamente acima das nossas possibilidades.

Este não surge-nos um factor novo.

Os habituais saldos que enchiam de novo colorido as montras das lojas no início de cada ano, tem vindo a ser antecipados e se, em anos anteriores, aconteceram logo imediatamente ao Natal levando muitos portugueses a adiar as suas ofertas para poderem comprar melhor e mais barato, tem aparecido este ano…pasme-se, antes do Natal.

As montras estão cheias de propostas aliciantes de redução de preço.

Os empresários devem ter percebido que, face ao cenário de crise económico-financeira que se vive, haveria uma drástica redução ao consumo e, para evitar maior catástrofe do que a já se vive no comércio, preferiram abdicar de uma parte da sua margem e realizar alguma facturação, atraindo os consumidores com este argumentário.

A minha lista está bem definida, destinatários e presentes.

A vida não está para imprevistos!

São Mais Dualidades!!!

NP

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Oito e Oitenta (#131)

Oito: TAAG

Na passada Segunda-feira, um avião da TAAG (Transportes Aéreos de Angola), saiu do aeroporto de Lisboa em direcção a Luanda.
Passado pouco tempo da descolagem o dito avião começou a ter problemas técnicos que o obrigaram a regressar ao aeroporto.
Mas isto não foi o pior. O pior foi que esses problemas técnicos provocaram que o avião, quando sobrevoava a zona de Almada, perdesse (literalmente) algumas peças metálicas. Provavelmente do motor do aparelho.
Essas peças caíram na zona de Almada e da Costa da Caparica e provocaram estragos em vários veículos e apenas por uma questão de sorte não atingiram ninguém, sendo que aí os "estragos" seriam certamente irreparáveis.

A questão que aqui se coloca é a seguinte. Sabemos que o instituto que regula a aviação na Europa colocou algumas companhias na "lista negra", estando proibidas de voar no espaço europeu.
Sabendo também que “incidentes” com aviões da TAAG já não são virgens, pergunto-me se não seria caso para repensar se os aviões dessa companhia podem continuar a sobrevoar território nacional.

Como disse em cima, só por sorte essas peças "perdidas" não caíram em cima de ninguém. E levar com uma peça metálica que vem lá de cima a uma grande velocidade não deve ser meiguice.


Oitenta: O espírito da época

É verdade que o Natal já não é o que era, o espírito já não é o mesmo. Também é verdade que o Natal não faz esquecer a crise e não ajuda a melhorar as situações difíceis de muita gente.
Ainda assim, considero que é um espírito bonito de se ver. As pessoas, pelo menos durante alguns dias ou semanas conseguem pensar de uma forma um pouco mais positiva.
E esta época também serve de "desculpa" para fazermos algumas coisas que habitualmente não fazemos.

Vale o que vale, é verdade, mas mesmo assim gosto, desde pequeno, e vou continuar a gostar.
Até o próprio Dualidades fica com um ar bem mais simpático e agradável. :)


JP

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A decoração de Natal está pronta!

Desde pequeno que a tarefa é minha, primeiro na casa materna e agora na minha. Isto de ser filho único tem as suas obrigações. Como rapaz responsável que sou, assumi a tarefa de bom grado e, ano após ano procurei montar o presépio e a árvore de natal.

Quando era pequeno a tarefa era levada a cabo no primeiro dia de férias. A minha mãe nunca gostou que se tratasse da decoração muito antes do dia 24. Hoje em dia, dono das minhas vontades, trato do assunto logo no dia 1. Já que se faz, que se usufrua durante uns bons dias.

O meu actual presépio acompanha-me desde sempre, tem, tal como eu, mais de trinta anos e é extenso e diversificado. A minha mãe construiu-o comprando as mais diversas peças em Badajoz, numa loja que se situava na zona central da cidade, chamada “Las tres campanas”. Além de artigos de decoração de natal, a loja oferecia um manancial de brinquedos aos petizes que, como eu, por lá passávamos e deixava-nos encantados com um sem fim de brinquedos, jogos e bonecada.

De lá trouxemos el belén, que é como quem diz, a cabana e as respectivas figuras : Menino Jesus, Maria, José, burro e vaca.

Depois compraram-se os Reis Magos, o respectivo castelo, um moinho, um poço, uma ponte, que passa por cima de uma prata de chocolate que representa na perfeição um qualquer curso de água. Para dar vida a este universo estão os pastores, as lavadeiras e um sem fim de animalinhos que, sabe-se lá porque povoam os presépios da nossa região. Logo, também não podiam faltar no meu.

Nunca fui de ornamentar o presépio com musgo como muitas pessoas fazem, em vez disso optou-se por forrar a base do mesmo com uma folha de papel de seda verde.

Para completar, as tradicionais luzes de natal que entre piscar e piscar, permitem observar cada detalhe do presépio.

Recordo-me que, na minha infância, e no seio da minha família, o presépio e principalmente o Menino Jesus ocupavam um papel fulcral desta quadra. A árvore de Natal aparecia a um canto, de pequena dimensão e com uma decoração muito mais modesta que hoje em dia.

As coisas mudaram e acho que as tradições anglo-saxónicas influenciaram a nossa forma de viver o Natal. Não critico, mas prefiro manter-me fiel às origens.

Hoje as figuras mais mediáticas das nossas festividades são o Pai Natal, a neve e grandiosas árvores de Natal. Nada contra, mas isto não é nosso!

Enfim...

São Mais Dualidades!!!

NP

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Onde pára a vergonha?

Já largamente discutido e debatido por muitos, quase todos eles chegaram à conclusão que um dos grandes problemas do descontrolo das finanças públicas está nas, agora famosas, PPP, as tais Parcerias Público-privadas. Um termo que ultimamente nos temos habituado a ouvir com grande frequência.
Estas PPP continuam a levar uma grande fatia dos dinheiros públicos, quer na coordenação dos tais projectos públicos que lhes foram entregues, quer nos vencimentos dos seus Administradores, Gestores e afins, quer nos prejuízos que quase sempre aparecem para pagar ao Governo.
A situação será tal que o próprio Governo já admitiu que essas mesmas PPP representam um real problema para as nossas contas.

Por tudo isto, aguardava-se uma estratégia e uma solução, por parte do Governo. E ela chegou.
Para resolver o problema destas Parcerias Público-privadas, que têm aparecido nos últimos anos que nem cogumelos, o Governo fez uma coisa fantástica. Decidiu criar mais uma empresa pública, a qual baptizou de Agência para o Investimento Público e Parcerias.
Para controlar as Parcerias Público-privadas, cria-se mais uma Pública.
Segundo o decreto-lei que define a criação desta nova empresa pública, ela funcionará como uma entidade de cúpula, coordenando os projectos que estão a ser desenvolvidos pelos vários ministérios.

A maioria destas PPP, que com base nos números apresentados já vão em 116, são parcerias muito peculiares em que os privados contraem empréstimos para financiar determinados empreendimentos, em geral, obras públicas, mas em que fica acordado que os lucros, se os houver, serão entregues aos privados e os prejuízos serão da responsabilidade do Estado.
Parece que esta crise é apenas para alguns e os sacrifícios e apertar de cinto não são exigidos da mesma forma a todos.

Em declarações recentes que fez, Paulo Portas referia que "Em plena crise, o número de empresas públicas (...) subiu de 84 para 93, o número de gestores aumentou de 407 para 448 e a verba gasta em administrações cresceu de 35 milhões de euros para 39 milhões de euros".

Do outro lado (literalmente), Francisco Louça, defende "Uma auditoria completa a estas parcerias que têm arruinado o País. Sabemos que Portugal está a ser assaltado com taxas de 7,5% para a dívida pública nos mercados internacionais. Então não é um assalto quando os principais bancos portugueses e os seus parceiros nos estão a cobrar já há alguns anos 12% e 13% com contratos de PPP que vão até 2040?".

Mesmo dando o tal "desconto político" que se deve dar na leitura destes tipos de declarações, quer se goste de virar à esquerda ou à direita, acho que é bastante claro para (quase) todos que algo anda mal no reino de Portugal.

JP

domingo, 5 de dezembro de 2010

As Escolhas dos Dualidades (#113)

O Natal está aí! A prová-lo a azáfama habitual da quadra, o decorar a casa e as iluminações das principais artérias das nossas cidades.

Apesar de atentos à crise, e sem despesismos desnecessários, as autarquias têm consciência que o ar festivo conferido pelas decorações natalícias atrai visitantes que consequentemente podem realizar compras nos comércios tradicionais, em detrimento dos grandes centros comerciais.

Como já vem sendo habitual, hoje trago-vos o meu olhar sobre o aspecto natalício da cidade de Elvas que, apesar de mais modesta que em anos anteriores, está bonita e dá novo brilho e cor às principais artérias.

Ora espreitem...

Se quiserem recordar a decoração de 2009 e comparar, deixo-vos o link do post do ano passado. Vantagens de sermos um blog com três anos de existência, até temos histórico!!!!

Natal de Elvas 2009

Mas hoje é dia de música, é domingo! O dia está cinzento e precisamos de o alegrar!!!
Ouçam, formem uma opinião e votem. Conto com o vosso inquestionável apoio.

Dualidades JP

Dualidades NP

São Mais Dualidades!!!
NP

sábado, 4 de dezembro de 2010

Sugestão Dual (#54)

A sugestão deste fim-de-semana é para sair de casa. E que tal uma visita aos Açores?! Um dos sítios mais bonitos de Portugal e, porque não, do mundo.
Aproveitando a altura do ano em que estamos, sempre propícia a meter umas pequenas férias, porque não aproveitar e dar um saltinho até uma das 9 ilhas mágicas do Atlântico.

Já algum tempo, mais precisamente desde Outubro, que o Governo Regional dos Açores e o Turismo dos Açores iniciaram uma campanha com o objectivo de aumentar o número de turistas que visitam as ilhas durante a denominada época baixa.
A campanha consiste em oferecer o valor das passagens aéreas para as ilhas aos turistas nacionais, desde que os mesmos lá permaneçam mais de 5 dias.
Desta forma pretende-se que os turistas nacionais viagem para o Açores, lá passem várias noites e dessa forma gastem lá algum do seu dinheiro, favorecendo a economia da região.

A minha sugestão surge este fim-de-semana mas para aqueles que ficaram interessados mas não a podem aproveitar nas próximas semanas, não se preocupem. A campanha prolonga-se até ao final de Março de 2011.

Se estiverem interessados em aproveitar, podem visitar o site oficial desta campanha e lá podem obter mais informações sobre esta campanha, procurar os hotéis que mais vos agradem e fazer as vossas reservas online. Basta clicarem aqui.

Um bom fim-de-semana e aproveitem este conselho de quem já teve o privilégio de visitar o Arquipélago.

JP

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Em "Alta Definição"...

Por natureza os portugueses gostam de conversar e são exímios a fazê-lo.

Todos gostamos de dois dedos de boa conversa, desde que o interlocutor ou interlocutora seja interessante, o que nem sempre acontece.

É por isso que, na monótona e muitas vezes enfadonha programação televisiva nacional, se destaca o magazine semanal comandado na SIC por Daniel Oliveira. Refiro-me ao "Alta definição", o programa que tento não perder no sábado depois do almoço.

A selecção dos convidados costuma ser boa e Daniel Oliveira consegue um ambiente muito descontraído, fazendo lembrar a tal conversa de amigos, onde as perguntas se vão encadeando, descobrindo-nos cada uma daquelas personalidades e abordando detalhes privados e que dão azo a confissões às vezes muito íntimas.

O resultado final do programa seduz o espectador pelo formato, pelo tom intimista e de proximidade criado entre entrevistado e entrevistador, enquadrado por boa música de fundo e notas de rodapé que nos dão a conhecer curiosidades sobre o convidado.

Cada entrevistado faz a sua apresentação no inicio da emissão e assume de forma metafórica que está "sem maquilhagem" no Alta definição....daí para a frente passamos a ver cada uma daquelas figuras que costumamos ver no pequeno ecrã com outros olhos, parecendo-nos vulgares humanos com qualidades e defeitos, que vamos descobrindo à medida que a emissão evolui.

Na maior parte dos casos Daniel Oliveira consegue fazer nascer uma ou outra lágrima nos seus convidados ao abordar situações ou assuntos que os marquem mais directamente.

A semana passada acompanhei com especial interesse o programa cujo convidado foi Nicolau Breyner e gostei. Apesar de muitos nos habituarmos a vê-lo na televisão desde que temos conhecimento do referido aparelho, descobri nesta emissão o lado mais intimista de um homem de 70 anos que recentemente venceu um cancro na próstata e que revela a sua vontade de continuar a viver. Além de um grande profissional, é sem dúvida um Senhor.

O programa decorre sem que quase nos apercebamos do tempo, mérito mais uma vez do excelente entrevistador já que a ele, sem dúvida, se deve o sucesso do formato.

Cada semana, a última pergunta colocada por Daniel Oliveira convida os seus entrevistados a revelarem o que "diz os seus olhos". As respostas têm sido as mais diversas, como é de se esperar.

E vocês, "o que dizem os vossos olhos"?

São Mais Dualidades!!!
NP

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

"Alentejo, tempo para ser feliz"

Segundo dados estatísticos divulgados, o Alentejo foi a região que evidenciou maiores crescimentos turísticos de Janeiro a Setembro, atingindo os 5,4% num total de 933 mil dormidas. A isto devemos ainda juntar o crescimento também verificado em 2009, ou seja, o Alentejo tem vindo a despertar cada vez mais interesse turístico.

Devemos atribuir responsabilidades ao trabalho desenvolvido pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo (ERTA)? Devemos considerar que a situação de crise liberta menos margem para o lazer e daí o recurso a um destino mais “perto da porta”?

Acredito que um pouco das duas.

A verdade é que a Entidade Regional de Turismo se mostra dinâmica e continua a mostrar trabalho para que, de forma estruturada, o Alentejo no seu todo possa continuar a atrair visitantes. A tarefa não me parece nada fácil uma vez que nos referíamos a um terço do território nacional, num conjunto de dezenas de municípios com tradições e culturas diversas, com uma componente marítima, com planícies e serra.

Por outro lado, interessa reter os visitantes por vários dias, para que gastem dinheiro na hotelaria, na restauração e na aquisição de produtos regionais. Nada melhor que pacotes diversificados e que se arrastem por três ou quatro dias.

Talvez tenha sido positiva a união das diversas regiões de turismo alentejanas uma vez que, com mais massa crítica talvez consigamos ter mais peso, no entanto, não é pêra doce conseguir uma imagem que identifique o todo.

A semana passada foi apresentada a nova imagem de comunicação do Alentejo sob o mote “Alentejo, tempo para ser feliz”. Nos próximos dias estará disponível na TV, rádio, imprensa e internet, estendendo-se a 2011.

Ainda não vi o resultado final, mas confesso que estou curioso. Efectivamente o tempo tem para nós outra dimensão. Numa sociedade cosmopolita onde falta tempo, onde o dia-a-dia é feito de correria e de stress, parece-me uma pedrada no charco propor a oferta de tempo passado com qualidade, onde haja silêncio, onde se possa coexistir com uma fauna e uma flora características, onde o ritmo de vida se desencadeia a outra velocidade.

É essa a riqueza que, apesar das suas especificidades, cada região do Alentejo tem para oferecer a quem nos visita. E nos dias que correm, não há preço a que pague! É a chamada qualidade de vida!

O turismo é realmente a saída para uma região onde a indústria tem pouca expressão, e cada vez menos, onde a agricultura ainda cria riqueza, mas poderia criar muita mais, e onde os serviços estão cada vez mais centralizados.

Aguardemos os resultados!!!

São Mais Dualidades!!!
NP

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Oito e Oitenta (#130)

Em dia de Restauração da Independência, faço uma reflexão sobre a importância que Espanha tem nas regiões portuguesas da raia, mais concretamente no concelho de Elvas e, se há quase quatrocentos anos celebramos a partida dos castelhanos, hoje são-nos estritamente necessários para manter viva a nossa economia.


Oito – Zona comercial do Caia espanhol

Enquanto que Portugal debate a necessidade de um TGV e se há dinheiro para realizar uma obra desta envergadura, do lado espanhol começa a ter-se noção da vasta área comercial que está prestes a nascer.

Esta semana foi anunciada para o verão de 2012 a inauguração do centro comercial "Faro del Guadiana" que ocupará 56.000 m2 numa área vizinha ao IFEBA e à Lusiberia e que se espera crie mil postos de trabalho durante a construção e três mil após a abertura.

Também se tem especulado quanto à vinda de uma loja IKEA, outra Leroy Merlin, etc, que trarão nova dinâmica ao mercado de trabalho pacense, à economia e à cidade de Badajoz.

E por cá? Parece-me que vamos ficar à espera de nos tornarmos cidade dormitório de Badajoz...


Oitenta – O Forte da Graça desperta interesse

No passado sábado foram centenas os espanhóis que visitaram o Forte da Graça, apesar do elevado estado de degradação em que este se encontra.

A iniciativa partiu do Museu Militar de Elvas e promete ter continuidade na primavera do próximo ano.

A obra arquitectada por Cosmander continua a despertar o interesse de quem a conhece, uma vez que, segundo se diz, com esta obra o seu autor esgotou a criatividade ao nível da arquitectura militar.

Deseja-se que o Ministério da Defesa assuma uma posição e olhe pelo Forte da Graça antes que a degradação se agrave e seja ainda mais dispendioso poder devolvê-lo ao esplendor de outrora.

Ficamos todos a torcer por um futuro melhor para a obra prima da arquitectura militar que nos legaram os nossos antepassados.

Bom feriado!

São Mais Dualidades!!!
NP

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Wikileaks volta a fazer das suas

Mais uma bronca diplomática, e das grandes, após a Wikileaks ter divulgado mais documentos secretos.
Depois de uma primeira divulgação de documentos classificados de altamente confidenciais, há alguns meses atrás, sobre as operações militares dos Estados Unidos, a Wikileaks voltou à carga e começou a divulgar mais outro lote de documento "top secret".

Segundo o fundador da organização, Julian Assange, quando questionado sobre se os novos documentos diziam respeito ao Iraque ou ao Afeganistão, "os documentos que nos preparamos para publicar dizem respeito a todos os grandes assuntos em todos os países do mundo".
Para além de disponibilizar esses documentos no seu site, a Organização distribuiu muitos desses documentos por jornais de grande relevo internacional, tais como El Pais, Le monde, Spiegel, Guardian e o New York Times.

Estes documentos, que incluem muitas comunicações entre os Estados Unidos e as suas embaixadas espalhadas pelo mundo inteiro, prometem causar o pânico nas relações internacionais dos Estados Unidos e com muitos países e entidades internacionais.
Nos documentos podem ler-se descrições e caracterizações que os serviços secretos fazem de inúmeros líderes políticos, tais como Angela Merkl, Zapatero e outros, as quais geralmente não são nada abonatórias para os mesmos.
Revelam também que Washington ordenou que fosse espiado o Secretário-geral da ONU, inclusive tentar descobrir as suas passwords de acesso aos sistemas informáticos, bem como outros funcionários de relevo desta Organização.

Os Estados Unidos tudo fizeram para tentar evitar que estes documentos fossem publicados, alegando que a segurança de muitas pessoas e entidades ficariam em risco, bem como as relações internacionais com outros países.
A verdade é que estes argumentos não sensibilizaram a Wikileaks que não se privou de os divulgar.

Estas noticias e factos que agora se vão começar a saber podem mesmo colocar em risco as relações entre os Estados Unidos, considerados como a maior potência mundial e um dos principais intervenientes, para o bem e para o mal, nas principais negociações diplomáticas mundiais.
Resta mesmo saber como esses outros líderes mundiais vão receber as notícias de que andavam a ser espiados e os adjectivos nada simpáticos com que foram brindados por diplomatas americanos e serviços secretos que trabalhavam nos seus países e que apresentavam como aliados.
Provavelmente nada voltará a ser como dantes nas relações internacionais e na diplomacia americana, que passara a ser olhada com outros olhos.

JP

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Banco Alimentar contra a fome

Como já é hábito acontecer nesta altura do ano, mas ganhando nova expressão quando se agravam as carências de muitas famílias, o fim-de-semana trouxe à rua a campanha do Banco Alimentar contra a fome.

Em 18 regiões do país (Lisboa, Porto, Coimbra, Évora, Beja, Aveiro, Abrantes, Setúbal, Cova da Beira, Leiria-Fátima, Oeste, Algarve, Portalegre, Braga, Santarém, Viseu, Viana do Castelo e ilhas de São Miguel e Terceira), cerca de 30 mil voluntários estiveram à porta de 1278 estabelecimentos comerciais a solicitarem a contribuição dos portugueses para uma causa tão nobre.

E as coisas correram bem! Outra coisa não seria de esperar!

Os portugueses são um povo generoso e mais ainda quando o cinto mais se aperta e surge a consciência que muitas famílias viverão dias de grande dificuldade. Tira-se do pouco para dar a quem não tem nada.

Segundo Isabel Jonet do Banco Alimentar contra a fome, a adesão dos portugueses no primeiro dia foi impressionante, tendo sido batido o recorde de toneladas de alimentos recolhidos e de pessoas dispostas a apoiar a causa.

O ano anterior reuniram-se 2490 toneladas de alimento. Este ano a quantidade foi superior e será distribuída por mais de 1800 instituições de solidariedade social previamente seleccionadas que farão o trabalho de localmente chegar às famílias, num total de 280 mil pessoas.

De acordo com o Banco Alimentar Contra a Fome, Portugal é um dos países mais pobres da União Europeia, com cerca de dois milhões de portugueses a viver abaixo do limiar da pobreza, com pouco mais de quatro euros por dia.

Por Elvas a campanha decorreu com normalidade. Os escuteiros e os demais voluntários marcaram presença nos diversos supermercados da cidade, distribuindo sacos e recolhendo os donativos.

Não tenho dados quantitativos da mesma, mas estou convencido que o balanço também é positivo, apesar da complicada situação financeira da cidade.

Eu dei o meu contributo!

São Mais Dualidades!!!
NP

domingo, 28 de novembro de 2010

As Escolhas dos Dualidades (#112)

Este fim-de-semana, apesar da chuva parecer não marcar presença, está a ser marcado pelo frio. A fazer-nos lembrar que o Inverno já não anda longe. E o que faz falta para uns dias assim?
Com certeza, uma boa música para animar a malta. Se forem duas, ainda melhor.

Da minha parte pensei: que música poderia animar a malta que hoje por aqui passar?!
Uma música cheia de ritmo é mesmo o que faz falta para animar a malta.

Fiz uma pequena retrospectiva da semana que passou e lembrei-me daquela música que ouvi e pensei: é mesmo isso! Para animar a malta não pode haver melhor.
Essa música tem uma outra característica. Consegue ser um clássico e ao mesmo tempo uma novidade acabada de estrear e que promete voltar a fazer-se ouvir em força.
Porque se há músicas intemporais, esta é certamente uma delas. Não ninguém que não a conheça. Numa ou noutra versão.

Porque o que faz falta a esta malta é mesmo boa música para a acordar. Toca a avisar a malta.

Dualidades NP

Dualidades JP


Bom Domingo.

JP

sábado, 27 de novembro de 2010

Sugestão Dual (#53)

A semana foi agitada e as temperaturas baixas previstas convidam a ficar em casa.

Alguns distritos do país tiveram direito a aviso amarelo e um pouco por toda a Europa caem os primeiros nevões do ano. Vamos ver o que acontece por estas bandas. Depois da neve nos ter visitado com abundância no passado dia 10 de Janeiro, aguardamos as surpresas que a estação nos traz.

A minha sugestão passa, como não poderia deixar de ser, por um fim-de-semana calmo, enquanto nos preparamos para a agitação das decorações natalícias e dos presentes. As próximas semanas serão mais curtas profissionalmente e, como tal, temos muito tempo para nos divertirmos.

Com o aquecimento ligado, a televisão a passar uns filmes já a sugerir a quadra, enquanto o jogo não começa em Alvalade, tenciono pôr a leitura em dia, tranquilamente.

O que vos aparece?

São Mais Dualidades!!!
NP

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mariza "Fado tradicional"

Foi ontem à noite no Coliseu do Porto que foi apresentado o mais recente trabalho da fadista internacionalmente conhecida, a nossa Mariza. Chama-se "Fado tradicional".

No dia 29 chega a Lisboa, ao Coliseu dos Recreios, a cujo palco a mesma subirá para gáudio dos fãs, num cenário desenhado peo arquitecto Frank Gehry.

O álbum é produzido pelo músico Diogo Clemente e contém um dueto com Artur Batalha no tema “Promete Jura”. Integra ainda criações de Fernando Pessoa, Amália Rodrigues, entre outros.

Neste novo trabalho, Mariza revisita fados tradicionais como “Fado Sérgio”, “Fado alfacinha”, “As meninas dos meus olhos”, “Fado Varela” ou “Mais uma lua”.

Depois do albúm “Terra” que angariou vários discos de platina, Mariza canta, em tom de homenagem, poetas e fados de sempre que a marcaram desde a infância e junta a eles a contemporaneidade e visão pessoal que a caracterizam.

Hoje não é dia de escolhas musicais mas não resisto a convidar-vos a ouvir o tema “Promete Jura” que a fadista cantou na sua recente passagem pelo programa “Lado B” de Bruno Nogueira, o homem do Delta Q.



A voz de Mariza, única como sempre.
A alma fadista continua a transportar a mesma mágoa e tristeza…

São Mais Dualidades!!!
NP

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Direito à greve

Já está. Chegou ao fim a segunda greve geral da nossa história democrática.
E agora?

Para começar, com toda a certeza, vamos ter as guerras dos números.
Por um lado, as Centrais Sindicais vão avançar com números absurdamente elevados.
Por outro lado, o Governo vai ripostar com números estupidamente baixos.
No fim, ficamos todos sem saber a real dimensão da adesão à greve.

Mas do dia de ontem de greve geral e da forma como decorreu aqui pelos lados de Lisboa, apetece-me retirar alguns apontamentos.
Para começar, dizer que toda e qualquer pessoa tem todo o direito de exercer o seu direito à greve. Por isso mesmo, por ser um direito constitucional e uma forma de mostrar o seu descontentamento com alguma situação que lhe desagrade.
Mas também é verdade que alguns têm mais "direito" à greve que outros. Eu, pelo facto de trabalhar no "privado", certamente que tenho bem mais dificuldade em exercer o meu direito à greve do que muitos outros. Tenho de retrair o meu instinto mais grevista sob pena de ouvir qualquer coisa do género de: "Está descontente?! Não se preocupe, arranjamos outro que o substitua". É a vida...

Também tenho a referir o grande transtorno que os grevistas provocam na vida dos não grevistas. A começar pelos transportes públicos, ou a falta deles, e o caos que origina no já nada agradável trânsito diário. Mas quanto a isso, só tenho a dizer que faz parte. Repito, estão no seu total direito.

No entanto, há situações que me custam a compreender.
Situação número um: de manhã cedo, a caminho do trabalho, ouvia na rádio que os dirigentes sindicais estavam a começar o seu dia na Autoeuropa e regozijavam-se por não ir haver produção durante todo o dia.
Faz-me alguma confusão pensar que a situação da Autoeuropa e da sua continuidade em Portugal já esteve bem difícil, não há muito tempo, falando-se em despedimentos, layoffs, diminuições de produção, falta de modelos para produzir, etc., etc.
Felizmente para todos nós, esses problemas parecem ter sido resolvidos ao ponto dos seus trabalhadores irem receber aumentos anormalmente superiores ao da população portuguesa. E com tudo isto, no dia de ontem, os seus trabalhadores fizeram greve?! Não percebo...

Situação número dois: como já disse, por razões do "privado", ontem foi um dia de trabalho igual a tantos outros.
Como trabalho perto de um centro comercial, eu e os meus colegas tivemos a "infeliz" ideia de lá ir almoçar.
O Centro Comercial estava, como se costuma dizer, "à pinha", a fazer lembrar os fins-de-semana que antecedem o Natal. Cheio como um ovo.
Apetece-me perguntar: mas a ideia de fazer greve não passa pelo princípio de nos deslocarmos para o nosso local de trabalho habitual e lá ficar, a cumprir o horário normal, mas sem trabalhar, em sinal de protesto? Ou será que esse principio foi substituído por ir para o Shopping fazer compras?! Modernices...

JP

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Oito e Oitenta (#129)

Oito: Vamos comprar dívida da Irlanda. Ai vamos?!

Esta semana, a propósito do pedido de ajuda que Irlanda fez à União Europeia, ouvi umas declarações interessantes do nosso Primeiro-Ministro.
Dizia José Sócrates que Portugal ia comprar dívida Irlandesa. Mais interessante ainda foi quando ele disse que essa acção do nosso Governo não devia ser vista como uma ajuda mas sim como um investimento do nosso país.

Sim, acho que faz todo o sentido. O nosso país está praticamente falido, não pára de se endividar lá fora cada vez mais, a execução orçamental até Outubro estava abaixo das perspectivas e a melhor solução é comprar dívida de outros países.

Mais engraçado ainda, mas parar rir à gargalhada mesmo, seria se Portugal pedisse mais uns milhares de milhões de euros emprestados às taxas que nos são cobradas, de 6 ou 7%, para depois ir comprar dívida irlandesa a 4 ou 5%. Isso é que seria um fartote de rir.


Oitenta: "Meu Amor"

O meu Oitenta de hoje vai para a TVI e mais concretamente para a sua novela "Meu Amor".
Esta novela da TVI foi distinguida com um Emmy para a melhor novela internacional. É a primeira novela portuguesa a receber esta distinção.
Na corrida a este Emmy para melhor novela estavam também uma outra novela argentina e outra filipina.

Mesmo não podendo avaliar a qualidade desta novela porque já acabou e não era algo que estivesse habituado a ver nos meus serões, atendendo que os Emmy são o equivalente dos Óscares mas para o mundo da Televisão, acho que é de destacar.
Neste caso, parabéns à TVI e aos responsáveis pela produção da novela.


JP

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Do Vaticano sopram ventos de progresso...

O Papa começou a pensar na vidinha e surpreendeu o mundo ao mostrar-se mais sensível a causas como a utilização do preservativo, em “certos casos”.

A igreja enquanto instituição que vive dos seus fiéis, tem de dar mostras de acompanhar os tempos e de ser capaz de adaptar-se às novas realidades sociais, sob pena de ver reduzir dramaticamente os seus seguidores.

Na recente visita do Papa Bento XVI a Espanha, a afluência de católicos às diversas celebrações ficou aquém do esperado, sendo notórias as várias manifestações de protesto, nomeadamente por parte da comunidade gay.

Vai daí, o Papa que é um homem inteligente e bem assessorado, vem recentemente mostrar a sua flexibilidade num assunto que lhe tinha granjeado alguma impopularidade quando se mostrou contrário à aceitação do preservativo num continente como África onde o flagelo da SIDA faz tantas vítimas.

Sem querer ferir susceptibilidades, a igreja é talvez a empresa mais antiga da história da humanidade e, como todas, precisa de “clientes”, “volume de negócios” e “financiadores”.

A nossa sociedade evoluiu bastante nas últimas décadas, talvez tenha evoluído mais e mais depressa do que em qualquer outro período, e todos temos que nos adaptar às novas realidades sob pena de ficarmos à margem.

Durante séculos a igreja ditou normas e regras, castrou comportamentos, apontou o dedo e castigou, contrariamente ao conteúdo das sagradas escrituras que lhe servem de inspiração. Ficam na história as trevas trazidas pela inquisição, a perseguição aos judeus e tantos outros episódios negros.

Recentemente a vinda a conhecimento público de tantos casos de pedofilia no seio da igreja também não ajudou muito.

As novas gerações, supostamente mais donas do seu nariz e menos dependentes de entidades divinas cuja existência nem sempre é aceite têm-se afastado da igreja, procurando viver desenfreadamente o espaço que medeia o nascimento e a morte de cada um de nós, sem disponibilidade para um discurso arcaico e inflexível.

A sociedade mudou muito, os interesses dos homens também, mas as suas necessidades continuam a ser as mesmas ou arriscaria dizer que cada vez mais acentuadas.

Pessoalmente continuou a acreditar numa entidade divina cujo exemplo de bondade nos deve inspirar a todos. Não acredito é nos seus representantes terrenos que nem sempre fazem o que deveriam para nos envolver e cativar.

Continue no caminho do bom senso Santo Padre, sob pena de continuar a perder fieis um pouco por esse mundo fora.

São Mais Dualidades!!!
NP

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Sinais dos novos tempos ou crise

Uma nova moda começa a ganhar força entre os portugueses. Cada vez compramos mais através da Internet e em sites de leilões electrónicos.
Sites como eBay, leiloes.net ou Miau estão entre os mais procurados, segundo dados da Associação do Comércio Electrónico e Publicidade Interactiva (ACEPI).

Electrónica, telemóveis, videojogos e equipamento de informática são os produtos que os portugueses mais compram através da internet.
No último ano, as compras de artigos online têm aumentado, sobretudo de produtos de preço mais baixo à venda no vasto mundo da Internet.
Segundo a ACEPI, "no caso das vendas online temos assistido a um aumento da penetração de computadores e de banda larga nos lares portugueses, situação que reflecte um potencial de crescimento superior ao que se verifica no comércio em geral."

Outro factor que muito tem contribuído para esta crescente procura do comércio electrónico é a própria crise que se vive. Esta tem alterado os hábitos e as tendências de consumo dos portugueses.
"Verificou-se um aumento da colocação de negócios online. A nível de vendas, nota-se que existe uma maior preferência por artigos de valor mais baixo e por vezes já usados em deferimento de artigos novos e de marca", refere um responsável do site Miau.pt.

Portugal surge, assim, na 18ª posição numa lista que integra 22 países europeus, ordenados em função do dinheiro gasto 'per capita' em compras, serviços e publicidade na Internet. Este ranking faz parte de um estudo encomendado pela Google.

Por cá, os sites de leilões com mais visitas em Portugal no terceiro trimestre de 2010 são o Leilões.net, Miau.pt e eBay, segundo dados da empresa Marktest, referentes ao comércio electrónico. Já nas lojas online quem lidera é o Ikea.
De acordo com indicadores da ACEPI, relativos ao segundo trimestre deste ano, 46% dos associados respondeu que o volume de negócios cresceu até 10%.
33% afirmam que o volume de negócios cresceu entre 10% e 50% e apenas 14% dizem ter diminuído o seu volume de vendas face ao período homólogo do ano anterior. Abaixo de Portugal fica apenas a Suíça, Eslováquia, Itália e Grécia. No topo da lista temos o Reino Unido, seguido da Dinamarca e Alemanha.

Olhando para este números, podemos então concluir que o comércio electrónico está na moda e de vento em popa entre os portugueses. Mas como já foi referido em cima, a situação económica será um dos factores que faz aumentar esta tendência, principalmente no que toca aos sites de leilões, em que a maioria dos produtos que são postos à venda são produtos usados.
Não me espanta que neste Natal haja por aí algumas prendas em segunda mão. :)

JP

domingo, 21 de novembro de 2010

As Escolhas dos Dualidades (#111)

Na passada sexta-feira o Coliseu dos Recreios foi o palco escolhido para o concerto que marca o regresso aos palcos do cantor elvense Paco Bandeira.

A Câmara Municipal de Elvas quis associar-se à festa atribuindo ao cantor a Medalha de Mérito da Cidade.

Apesar de aprovada pela autarquia há quase três anos por unanimidade, só agora a medalha chegou às mãos de um dos mais ilustre filhos de Elvas e que, com o seu maior êxito musical, homenageou a cidade que o viu nascer.

Faz-se justiça e contraria-se o ditado. Afinal santos de casa às vezes fazem milagres.

Pelo nosso Dualidades queremos também saudar o cantor pelo seu regresso aos palcos e reconhecer tudo o que tem feito pela nossa cidade raiana, divulgando-a de forma ímpar.

E como é domingo, vamos à música, não do Paco, mas bem que podia ser…ora ouçam e escolham.

Dualidades JP

Dualidades NP

Bom domingo!

São Mais Dualidades!!!
NP